Extinção do DPVAT afeta diretamente ao SUS

Com a medida de acabar com o DPVAT, o governo Bolsonaro por meio do Ministro da Economia (Paulo Guedes) afetam diretamente uma das áreas mais sensíveis para a população brasileira que é a SAÚDE.

O governo diz que a medida é para combater a corrupção, porém 45% dos valores do seguro obrigatório(DPVAT) são para o Fundo Nacional de Saúde, os recursos administrados pelo FNS destinam-se a financiar as despesas correntes e de capital do Ministério da Saúde, de seus órgãos e entidades da administração diretas e indiretas, integrantes do SUS.

Dessa maneira, o Seguro DPVAT cumpre uma função social, estes repasses são de importância fundamental para o atendimento às vitimas de acidentes de transito em
hospitais públicos e privados que têm convênio com o SUS.

Outros 5% são repassados diretamente pelos bancos para o DENATRAN, que segundo determinação legal deve investir os valores em campanhas de prevenção de acidentes.

Criado em 1974 pela lei n°6.194/74, o DPVAT cobre danos pessoais causados por veículos automotores de via terrestre ou por sua carga, o seguro ampara todas as vitimas de acidentes de trânsito ocorrido no Brasil.

Maiores Lucros

Analisando por outro lado, acredita -se que muitos setores como seguradoras, empresa frotistas de aluguéis de veículos e planos de saude terão mais lucros em cima da extinção do DPVAT.

Quanto não deixaram de contribuir as locadoras de veículos ?
Inclusive o secretário de privatizações do governo é dono de uma das maiores empresas de aluguéis de veículos do país.