Após greve, condutores de Guarulhos e Arujá garantem seus direitos

Julgamento realizado em 10 de maio no TRT garante os direitos dos condutores

Da redação
O SINCOVERG, Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários no Transporte de Passageiros, Urbano, Suburbano, Metropolitano, Intermunicipal e Cargas Próprias de Guarulhos e Arujá conseguiu uma importante vitória, após a greve realizada na última sexta-feira, dia 10 de maio: garantiu, para os condutores, a participação nos lucros da empresa e um reajuste salarial de 5,07%.
O julgamento da greve aconteceu no próprio dia 10 de maio, às 10h00, no TRT de São Paulo com a decisão do desembargador vice-presidente judicial Rafael E. Pugliese Ribeiro favorável à SINCOVERG e desfavorável à GUARUSET, Sindicato das Empresas de Transporte Urbano e Metropolitano de Passageiros de Guarulhos e Arujá.

Negociação entre Sincoverg e Guaruset


O SINCOVERG afirma que os empresários queriam implantar o sistema de banco de horas, e retirar a Participação nos Lucros e Resultados das empresas, além de apresentar um reajuste salarial de 4%. A direção do sindicato, representada pelo presidente Maurício Brinquinho, apresentou os dados reais e oficiais.
Além da manutenção desses direitos, o desembargador ainda determinou que o dia de paralisação não seja descontado dos trabalhadores grevistas. Definiu ainda o retorno imediato dos condutores ao trabalho para assegurar o transporte público.
Outra vitória apontada pelo SINCOVERG é a manutenção de 15% de mulheres nas funções representadas pelo sindicato.

MULTA PARA O SINCOVERG
Apesar das vitórias, o SINCOVERG informa que sofreu multa de R$ 100.000,00 por ter desacatado a ordem judicial de manter 70% da frota em funcionamento na hora de pico e 50% no entrepico.
Mesmo assim, o sindicato avalia que a multa é resultado de um sindicato combativo que luta por direitos da categoria.