S.O.S. APOSENTADORIA! DIA 20/02 SERÁ O DIA NACIONAL DE LUTA EM DEFESA DA PREVIDÊNCIA

João Manuel de Asunción Flores

O governo do Bolsonaro quer acabar com a nossa aposentadoria. Só nós, o povo trabalhador, poderemos impedir mais essa tragédia social.

Se a proposta do governo for implantada, todos os trabalhadores serão prejudicados. Com o aumento da idade mínima para se aposentar, praticamente, acabará a aposentadoria por tempo de contribuição. Com isso, perderão os mais moços que levarão mais tempo para se aposentar, se conseguirem, e os com mais idade que, devido às regras de transição, terão que trabalhar mais até se aposentarem. Os trabalhadores mais humildes, que começam a trabalhar ainda crianças ou jovens, serão os mais prejudicados. O ataque discricionário do governo não para por aí. Entre os que sairão mais afetados estarão: as mulheres, que terão que trabalhar mais, quase tanto quanto os homens, mesmo enfrentando condições desiguais ao longo da vida; os professores e outras categorias de trabalhadores, que atuam em atividades mais desgastantes, reconhecidas pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que deverão trabalhar mais do que atualmente; e os servidores públicos, federais e estaduais, que terão regras mais duras de acesso à aposentadoria.

Foto: jornal ggn

É mentira, portanto, que a reforma da previdência proposta por este governo é para fazer justiça aos mais humildes. Muito distante disto, essa proposta não toca nas aposentadorias milionárias nem aborda o problema, este sim muito sério, das empresas e dos empresários que sonegam a contribuição para o INSS. Caso esse problema fosse solucionado, nada haveria que se falar do propalado e, por isso, também falso, déficit da previdência.

Por trás da reforma de Bolsonaro está a ideia de introduzir um modelo de previdência privada, que ficará por conta exclusivamente do trabalhador. Um modelo que está sendo importado de outros países, não por suas qualidades, mas pelo que tem de pior para nós: lucros astronômicos para as instituições financeiras que administrarão o sistema e miséria para os trabalhadores, mercê dos baixíssimos valores pagos aos aposentados. Impedir essa tragédia social à espreita é lutar para manter nossa previdência pública, para todos, com justiça social e sem privilégios.

Para compor sua proposta o governo só ouviu patrões – banqueiros, industriais, do comércio, dos latifúndios rurais e de outros setores. Tapou os ouvidos e deu de costas para os trabalhadores! Conta com uma maioria do congresso nacional, que não nos representa, pois associada a esses mesmos patrões, para aprovação rápida do projeto. Somente a classe trabalhadora, consciente e alerta, poderá se contrapor. Nesse sentido, as principais centrais sindicais estão fazendo um chamado geral à luta: Assembleia Nacional da Classe Trabalhadora – Dia Nacional de Luta em Defesa da Previdência Pública e contra o fim da Aposentadoria. Em São Paulo, o ato será neste dia 20 de fevereiro, às 10 horas, na Praça da Sé, Capital/SP.

Participemos desta mobilização! A participação do máximo de trabalhadores nessa luta é muito importante. Converse com quem puder, na família, no bairro, em seu local de trabalho, na escola, enfim, em todos os cantos onde conseguir avançar a consciência do trabalhador para esse problema real que bate à nossa porta: S.O.S. Aposentadoria!