Comissão especial de inquérito prepara relatório de investigação sobre contrato com a INSAÚDE

A Comissão Especial de Inquérito (CEI) instaurado pelo legislativo de Arujá finalizou a etapa de oitiva de depoimentos para investigar possíveis irregularidades na contratação do Instituto Nacional de Pesquisas em Saúde (InSaúde) pela prefeitura de Arujá. Esta etapa foi realizada nos dias 23 e 24 de janeiro e conduzirá à preparação de relatório final.

Segundo o site da Câmara Municipal de Arujá, foram realizadas 7 oitivas em que foram convocados para depor: o prefeito José Luiz Monteiro (MDB); a secretária de Saúde Carmem de Araújo Pellegrino; o secretário de Assuntos Jurídicos e de Segurança Pública Carlos Roberto Vissechi; o secretário adjunto de Assuntos Jurídicos Eduardo Rodrigues Pinheiro; a atual presidente do Conselho Municipal de Saúde Patrícia Elias do Prado; a diretora do Departamento de Administração e Finanças Lívia Renata S. Pereira e a presidente da Comissão Permanente de Licitações (COPEL) Maria Aparecida Anacleto Pires Lança.

INVESTIGADA NA OPERAÇÃO OURO VERDE

A InSaúde é uma das organizações sociais investigadas na Operação Ouro Verde que identificou possíveis envolvimentos de agentes públicos no município em um aparente esquema de recebimento de propina. O delator Paulo Câmara da Vitale Saúde teria levantado a hipótese de que o prefeito José Luiz Monteiro tinha conhecimento das transações irregulares.

A InSaúde substituiu o Centro de Estudos e Pesquisas João Amorim (CEJAM) que atuava no município desde 2012 e que atendeu Arujá até fevereiro de 2018. A Insaúde teria fechado contrato de R$ 28 milhões ao ano com a prefeitura de Arujá, mas teve seu contrato suspenso e depois rompido depois da Insaúde ser citada na operação Ouro Verde.