Frente Democrática Guarulhos e Alto Tietê arrecada doações para vítimas da tragédia em Brumadinho

Neste domingo, dia 27 de janeiro, voluntários arujaenses que compõem a Frente Democrática Guarulhos e Alto Tietê arrecadaram doações para as vítimas da tragédia de Brumadinho. Moradores solidários enviaram alimentos, água, roupas, sapatos e demais donativos não perecíveis. Toda a doação será enviada para a sede do Movimento dos Atingidos por Barreiras (MAB) em São Paulo.

Doações recebidas neste domingo O MAB é um movimento nacional, autônomo, popular, que luta pela defesa e assistências a vítimas atingidas por barragens. Diante do volumoso número de doações já recebidas pelo MAB, a Frente Democrática suspendeu o recebimento, mas estará acompanhando o desenvolvimento das ações de socorro às vítimas e poderá retomar a campanha, se necessário.

A Frente Democrática Guarulhos e Alto Tietê é uma coletividade sem vínculos partidários que reúne cidadãos de várias cidades da região metropolitana de São Paulo, contando com a presença de membros de Arujá. Tem por objetivo atuar coletivamente em prol das demandas sociais não só desta cidade, como também de outras desta região.

TRAGÉDIA EM BRUMADINHO NÃO FOI ACIDENTE

No último dia 25 de janeiro, uma avalanche de lama e rejeitos de mineração causou a devastação de parte da região metropolitana de Belo Horizonte, deixando, até este momento cerca de 60 mortos e aproximadamente 300 desaparecidos. Câmara do de Meio Ambiente e Patromônio Cultural do Ministério Público Federal afirmou em nota1 que não se pode classificar o acidente. Diz a nota: “Há mais de três anos, mesmo antes do ocorrido em Mariana (MG), especialistas alertavam para o grave risco existente em inúmeras barragens do país, tanto em virtude da falta de gestão adequada quanto também de fiscalização eficiente”. Portanto, o que se vê é uma tragédia anunciada que foi negligenciada pelos responsáveis pela gestão da Vale e também por órgãos de fiscalização das barragens.

1 http://www.mpf.mp.br/pgr/noticias-pgr/nota-da-camara-de-meio-ambiente-e-patrimonio-cultural-sobre-tragedia-em-brumadinho-mg